Viviane Lima, do Instituto Social “Que a Inclusão Vire Rotina”, conta sua história no programa Olha já Podcast

O programa foi transmitido ao vivo pela página do Facebook

Viviane Lima, defensora dos direitos da Pessoa com Deficiência, concedeu uma entrevista ao programa Olha já Podcast, apresentado por Roger Siqueira e Brenda Karollyne, na noite dessa terça-feira (14). Na entrevista, Viviane, que tem duas filhas especiais, conta sobre sua história de vida e como iniciou o projeto do Instituto Social “Que a Inclusão Vire Rotina”, cujo principal objetivo é defender os direitos e auxiliar as pessoas com deficiência, dando assistência, fazendo acompanhamento e muito mais.  

Viviane Lima é defensora há 23 anos da causa da Pessoa com Deficiência (PcD). Ela é amazonense, mãe de três meninas: Ana Victória (23 anos), Maria Luiza (20 anos) e Júlia Lima (16 anos), e casada com Carlos Júnior. Viviane tem 2,2 milhões de seguidores em sua página no Facebook, onde mostra o dia a dia de suas filhas e movimenta uma causa social em favor da pessoa com deficiência, levantando a bandeira e mostrando a importância de tornar rotina a inclusão. 

Como tudo começou:

Viviane contou na entrevista que sua história como defensora da Pessoa com Deficiência começou quando, ainda grávida, descobriu que suas duas filhas, Ana Victória e Maria Luiza, estavam com microcefalia. A partir de então, iniciou-se uma nova vida; momento em que Viviane se transformou e passou a se importar cada vez mais com essa causa, criando empatia pelas demais mães que passavam pela mesma situação que ela e iriam enfrentar essa mesma realidade. 

Foi em 2015 que Viviane começou a ver nos noticiários sobre esse diagnóstico, iniciando-se no nordeste brasileiro. Foi nesse momento que ela pôde externar sua experiência de vida com suas filhas; dificuldades e desafios. Viviane encontrou forças e hoje tem um instituto que ajuda muitas pessoas com deficiência. 

“Eu fui aprendendo com o tempo, todas as dificuldades; o que era ser mãe; o que era ser mãe de uma pessoa com deficiência; o que eram os nãos que a gente recebia; o que era encontrar as pessoas que não tinham o menor entendimento de quem eram as minhas filhas. Então eu acredito que essa frase foi se moldando e se formando para que eu pudesse expressar tudo aquilo que eu sinto e o que eu quero deixar de legado para o mundo”, disse Viviane sobre a frase “Que a Inclusão Vire Rotina”. 

Foto: Reprodução

Reconhecimento

Hoje Viviane é conhecida e reconhecida a nível nacional e internacional como pioneira na criação de compartilhamento de experiências nas redes sociais. Criou em 4 de dezembro de 2015 o “Grupo Mães de Anjos Unidas”, que começou com 20 mães, e hoje já são aproximadamente, 3 mil mães em todo Brasil e em alguns países. Uma grande conquista para Viviane e seu projeto que alavancou cada vez mais. 

Viviane luta para que haja mais reconhecimento e benefícios à Pessoa com Deficiência no Brasil. Sua luta é incessante e aonde ela vai, defende essa bandeira. Com isso, Viviane já adquiriu vários prêmios: 

Condecorada com as 3 medalhas de maior honraria do Estado do Amazonas, pelos serviços prestados à sociedade em especial ao segmento da Pessoa com Deficiência.

• Medalha Tiradentes – Policia Militar do Amazonas

• Medalha Ruy Araújo – Assembleia Legislativa do Estado – Resolução nº 701

• Medalha Imperador D. Pedro II – Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas

Algumas Ações que participei

• No dia 15 de junho, na Câmara dos Deputados (Federal), em Brasília, a amazonense Viviane Lima foi convidada para compor a mesa e representar as mães de todo o Brasil. 

• Audiência Pública sobre Microcefalia, foi convidada para compor a mesa e representar as mães de todo o Brasil. 

Quarta-feira (31/05), 15h

Comissão Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência

Plenário 13, Anexo II da Câmara dos Deputados 

• No dia 27 de Setembro de 2017, na Câmara dos Deputados (Federal) em Brasília, foi aprovado pela comissão da Seguridade Social e Família o Projeto de lei de N° 7.429 de 2017, de Coautoria do Deputado Federal Áureo, do Solidariedade do Rio de Janeiro, que instituiu a  SEMANA NACIONAL DE PREVENÇÃO, CONSCIENTIZAÇÃO E TRATAMENTO DA MICROCEFALIA”, tendo como dia oficial 04 de dezembro a justificativa da data do autor do projeto de lei, é homenagear e eternizar a criação do Grupo MÃES DE ANJOS UNIDAS que iniciou com 20 mães no dia 04 de dezembro de 2015 e hoje passa a ser reconhecido como um Movimento com mais de 3 mil mães em todo Brasil, criado pela Amazonense, Viviane Lima que é mãe de duas adolescentes com microcefalia. (Informações da página de Viviane Lima)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *