Prefeito de Jutaí é afastado durante operação da PF por cobrar propina de garimpeiros

A operação contou com a participação de policiais federais do Amazonas e do Comando de Operações Táticas(COT).

O prefeito de Jutaí, Pedro Macario Barbosa, alvo da terceira fase da operação “Uiara”, deflagrada nesta quarta-feira (20) pela Polícia Federal, foi afastado do cargo por 90 dias por suspeita de cobrar propina de garimpeiros.

Além dele, secretários e o chefe do gabinete também foram alvos da ação da PF. A irmã do prefeito foi presa com ouro e a quantia de R$ 40 mil.

A ação foi deflagrada em Manaus e no município. Ao todo, foram cumpridos 10 mandados de busca e apreensão e 10 medidas cautelares, dentre elas as de afastamento do cargo e funções públicas e acesso à prefeitura de Jutaí, além da cassação de autorizações de garimpos de minério ilegal.

Conforme a PF, a investigação visa desarticular organização criminosa voltada à prática de garimpo ilegal e demais crimes conexos, como corrupção ativa e passiva, crimes ambientais e possíveis outros ocorrendo em sua maior parte em Jutaí. As penas, somadas, podem ultrapassar a 20 anos de reclusão.

Pedro Macario Barbosa é suspeito de chefiar todo o esquema de recebimento de propina, que, conforme as investigações, eram pagos em ouro ou dinheiro em espécie.

Em novembro de 2021, o prefeito foi preso pela polícia com 200 gramas de ouro no aeroporto de Tefé quando tentava embarcar com destino a Manaus.

A operação contou com a participação de policiais federais do Amazonas e do Comando de Operações Táticas(COT).

Fonte: Mix de Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *