Por que a rainha quis passar últimos momentos no Castelo de Balmoral? Confira

A rainha Elizabeth morreu, aos 96 anos, nesta quinta-feira (8/9), no Castelo de Balmoral, na Escócia. Ela estava de férias e passou os últimos momentos de vida na propriedade, um dos redutos favoritos da monarca britânica. Na residência, a majestade viveu momentos inesquecíveis, conforme revelaram historiadores especialistas na Família Real.

A rainha Elizabeth morreu, aos 96 anos, nesta quinta-feira (8/9), no Castelo de Balmoral, na Escócia. Ela estava de férias e passou os últimos momentos de vida na propriedade, um dos redutos favoritos da monarca britânica. Na residência, a majestade viveu momentos inesquecíveis, conforme revelaram historiadores especialistas na Família Real.

Quando estava na residência, a rainha costumava ficar em uma casa de pedra de sete quartos, batizada de Craigowan Lodge. O palácio conquistou um espaço no coração da soberana. Ela e o falecido marido, o príncipe Philip, passaram parte da lua de mel na propriedade, em 1947. “É o lugar mais bonito do mundo. Acho que a vovó é a mais feliz lá”, destacou a princesa Eugenie, neta da rainha.

De acordo com historiadores, Balmoral já tinha um castelo, entretanto, o rei Albert não o achou suficiente e digno dos padrões da realeza. Ele decidiu construir outro a partir de 1856. Situado entre lagos e vales deslumbrantes, a residência soma mais de 20 mil hectares, tendo 150 edificações diferentes, como chalés. Entre os meses de abril e julho, o refúgio fica aberto para visitação de turistas.

Novo rei do Reino Unido, Charles III, e a esposa, a rainha consorte Camilla Parker Bowes, irão passar a primeira noite em Balmoral. O casal só retornará para Londres nesta sexta-feira (9/9). Pela lei britânica, o filho da rainha ascende ao trono imediatamente após a morte da antecessora.

Castelo de Balmoral é a residência oficial da rainha na Escócia

Fonte: Metrópoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *