Mais da metade do Amazonas está com o nome sujo, diz pesquisa do Serasa

As variações entre as unidades da federação são significativas, segundo os dados da Serasa Experian.

No momento em que a quantidade de inadimplentes bate recorde no Brasil, como está a proporção de pessoas com nome sujo em cada Estado do país? As variações entre as unidades da federação são significativas, segundo os dados da Serasa Experian.

No Amazonas está o dado mais preocupante: há mais adultos inadimplentes (51,8%) do que adultos com as contas em dia. Em seguida, aparecem outros Estados onde a parcela de inadimplentes é de praticamente metade dos adultos, como Rio de Janeiro, Amapá e Distrito Federal — os três com índices superiores a 49%.

Na outra ponta, com o índice mais baixo do país, está o Piauí, com “apenas” um terço dos adultos com nome sujo. Santa Catarina (34,8%), Rio Grande do Sul (36,3%) e Alagoas (36,8%) também aparecem entre os Estados onde uma proporção maior de adultos está conseguindo pagar as contas em dia.

Uma pessoa está inadimplente a partir do momento em que não consegue pagar uma conta até a data do vencimento. Ela só entra nas estatística de inadimplência da Serasa, no entanto, a partir do momento que a empresa comunica que determinada conta não foi paga.

Depois disso, “a Serasa encaminha comunicação — via SMS, e-mail, carta — para o devedor, falando que a pessoa tem dez dias para resolver essa situação e que, caso contrário, o nome dela vai ser negativado”, explica o economista Luiz Rabi.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *