Filha é presa suspeita de roubar mais de R$ 700 milhões em obras de arte da mãe

A filha junto com comparsas roubaram quadros que fazia parte de uma coleção de artes da mãe dela e que, somados, valiam cerca de R$ 725 milhões.

Uma mulher foi presa nesta quarta-feira (10) suspeita de aplicar golpes milionários contra a própria mãe, uma idosa de 82 anos. A filha junto com comparsas roubaram quadros que fazia parte de uma coleção de artes da mãe dela e que, somados, valiam cerca de R$ 725 milhões.

Policiais da Delegacia Especial de Atendimento à Pessoa da Terceira Idade (Deapti) do Rio de Janeiro prenderam até o momento, quatro pessoas durante a operação Sol Poente, mesmo nome de um quadro da pintora Tarsila do Amaral que integrava o acervo da vítima. A obra está avaliada em R$ 250 milhões. As investigações duraram cerca de dois anos e constatou que, ao todo, 16 quadros foram roubados.

Como foi o golpe
A polícia informou que o golpe começou a ser aplicado em 2020. Os nomes da suspeita e da vítima não foram revelados. A filha da idosa, que é uma viúva de um colecionador de artes, contratou pessoas para se passarem por videntes e convecer a mãe a pagar por um “trabalho espiritual” para salva-lá de uma doença.

A vítima foi convecida da doença da filha e realizou oito transferências bancárias que somaram mais de R$ 5 milhões em menos de duas semanas para um suposto tratamento da suspeita. A filha começou a isolar a mãe em casa e demitiu funcionários da família. Desconfiada, a idosa suspendeu os pagamentos e , então, começou a ser agredida e ameçada pela filha e os comparsas.

A filha junto com os outros suspeitos venidam os quadros da vítima para negociados que acreditavam estar comprando as obras de forma legítima.

Os quadros eram vendidos a negociadores que acreditavam estar comprando as obras de forma legítima. Um vendedor de arte foi encontrado com um quadro de Tarsila do Amaral. Ele já havia comercializado outras duas obras que, atualmente, estão expostas no Museu de Arte Latino-Americana, em Buenos Aires, na Argentina.

Na operação, a polícia pretende cumprir seis mandados de prisão e outros de busca e apreensão e bloqueio de bens.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *